Você está aqui
Home > Testes > Em Estrada > Teste Hyundai Tucson 1.7 CRDi Executive DCT: Na Idade Adulta

Teste Hyundai Tucson 1.7 CRDi Executive DCT: Na Idade Adulta

 

Como cresceu o Hyundai Tucson. Não que tenha sido incrementado por aí além nas dimensões, mas a verdade é que a sua maturidade no design fez dele um sério competidor num segmento bastante concorrido e onde a qualidade global impera.

O Hyundai Tucson, na sua mais recente versão, é senhor de aparência impressionante. Rompendo de forma radical com as gerações anteriores e com a derivação temporária que a marca fez para um caminho designado de ix35, a nova geração Tucson reflete uma filosofia da Hyundai, agora sim, apontada para um futuro promissor a vários níveis. Para usar da maior franqueza possível, praticamente toda a gama atual de modelos da Hyundai é esteticamente bastante apelativa. Sem dúvida que a cereja no topo do bolo, o ‘top model’ se preferirem, é o Tucson!

As linhas são agressivas, mas subtis ao mesmo tempo, não deixando ninguém indiferente. Os traços dinâmicos da frente, em que as várias óticas irrompem a partir de requintes estéticos, jogam na perfeição com um produto que é todo ele um exercício de bom gosto no design. As jantes, de desenho metálico e arrojado, as pseudo-proteções metálicas nos para-choques dianteiro e traseiro, a imagem de perfil e o ‘look’ da traseira são numa palavra, encantadores. É um dos poucos SUV no mercado que consegue aliar ao seu generoso espaço, também ele maior que na geração anterior, enorme elegância e um semblante extremamente agressivo. Esteticamente, é para nós uma das mais apelativas propostas do segmento SUV.

Interior Subtil e Requintado

No interior do Hyundai Tucson, encontramos linhas equilibradas e que sobretudo agradam pela subtilidade. Contrariamente à irreverência elegante do exterior, dentro do Tucson sente-se que o objetivo foi proporcionar harmonia de linhas e conforto visual, além de um espaço funcional e agradável. O tablier e consola central seguem uma linha mais tradicional com o que é proposto para veículos deste segmento. Bancos de design contemporâneo, pensados para proporcionar conforto e eficiência na condução, um tablier simples mas completo, com essa mesma filosofia a ser transposta para a consola central. Para utilização de condutor e passageiros da frente, com conforto para todos os ocupantes, estão disponíveis na consola central, todos os comandos que servem para controlar a climatização, fluxo de ar dentro do carro, assim como também através do sistema de infotainment com écran tátil podemos controlar o sistema de navegação, multimédia, áudio e até utilizar o telefone.

O espaço interior é agradável e serve na perfeição todos os possíveis cinco ocupantes deste Hyundai Tucson. Com uma altura de 1,650 mm, é nossa opinião que este SUV da Hyundai proporciona conforto em doses generosas aos passageiros da 2ª fila de bancos, mesmo para grandes viagens. Também a bagageira potencia as capacidades deste Tucson, emprestando-lhe uma vocação familiar para os períodos de férias em que gostamos de trazer ‘meia casa’ atrás, fruto dos 488 litros que estão disponíveis, o que pode crescer substancialmente se rebatermos os bancos.

Equipamento em Quantidade e Qualidade

Esta versão por nós ensaiada, é a de 141 cv, porque quisemos começar a nossa abordagem ao Tucson pela versão de caixa automática (DCT). Está recheada de equipamento. Desde logo, em termos de conforto de utilização, o potencial proprietário desta versão conta com: airbags dianteiros (condutor e passageiro), laterais dianteiros e de cortina para ambas as filas de bancos, sistema de assistência à travagem (BAS), sistema de ajuda em descidas (DBC), controlo eletrónio de estabilidade (ESC), sistema de ajuda ao arranque em subidas (HAC), alerta de baixa pressão dos pneus (TPMS) e programa de gestão da estabilidade do veículo (VSM). Exteriormente, esta versão Executive conta também com: grelha dianteira em cinzento escuro, barras no tejadilho, camara de ajuda ao estacionamento traseiro, espelhos retrovisores exteriores aquecidos, grupos óticos traseiros LED, iluminação em curva, óticas de dupla projeção, sensor de luz, sensores de estacionamento traseiro, vidros laterais dianteiros com proteção solar e laterais traseiros escurecidos e jantes em liga leve de 17″, entre outros itens.

Divertido, Mesmo em Fora de Estrada

No nosso habitual ‘circuito de testes’, esta versão de 141 cv do Hyundai Tucson passou com distinção em quase todos os itens dinâmicos analisados. Senão vejamos. Desde logo, do ponto de vista de quem está ao volante e analisa o que o rodeia, gostámos da posição de condução, já que os bancos permitem um amplo ajuste em altura e profundidade. Gostámos das dimensões do volante, nem tanto do seu ajuste, já que resulta um nada alto para o nosso humilde conceito de posição de condução ideal. Gostámos da visibilidade proporcionada pelo espaço interior, já que o condutor desfruta de grande amplitude, mesmo para as manobras mais ‘elaboradas’, com a ajuda de sensores e camaras. Também nos agradou a insonorização, que tem a ver com a boa escolha de materiais e qualidade de construção desta proposta coreana.

Numa utilização de estrada, com bom asfalto e outro (asfalto) que há muito já viu melhores dias, agradou-nos no geral o comportamento deste Tucson, embora tenha evidenciado não ser um nato SUV desportivo, já que o seu comportamento é por vezes demasiado neutro e pouco intuitivo. Numa utilização mais regrada e cuidada, agrada sobremaneira o seu conforto de rolamento e a forma como se mexe de modo desenvolto e eficiente. Apenas não podemos exigir demasiado da sua dinâmica, pois ainda que aparente ser desportivo, de todo o é, nem teria que ser.

A caixa de velocidades automática proporciona prazer de condução e por vezes faz-nos lamentar um pouco que este SUV não seja um pouco desportivo, tanta é a sua eficácia, especialmente no modo de transmissão Sport, em que as passagens (de mudança) são mesmo divertidas.

Para as fotos e não só, fomos e muito para fora de estrada, cingindo-nos no entanto aos estradões, até porque tinha chovido recentemente e não nos quisemos, Tucson incluído, colocar em sarilhos. Este SUV da Hyundai diverte na terra e comporta-se bem e, em bons pisos de terra é confiável e confortável.

A proposta por nós testada, custa desde €37.940

Fotos: OnWheelsTV/Jorge Cabrita

HyundaiTucson17_30
HyundaiTucson17_20
HyundaiTucson17_23
HyundaiTucson17_22
HyundaiTucson17_24
HyundaiTucson17_1
HyundaiTucson17_3
HyundaiTucson17_5
HyundaiTucson17_9
HyundaiTucson17_15
HyundaiTucson17_28
HyundaiTucson17_7
HyundaiTucson17_26
HyundaiTucson17_18
Hyundai Tucson 1.7 CRDi Executive DCT (141 cv)
Motor Diesel, 4 cilindros, turbo (E-VGT)
Cilindrada (cc) 1.685
Diâmetro x Curso (mm) nd
Taxa de Compressão 15,7:1
Potência (cv/kW/rpm) 141/104/4000
Binário (Nm/rpm) 340/1.250-2.750
Transmissão/Direção Dianteira, Caixa automática 7 velocidades, direção pinhão e cremalheira elétrica, assistida
Suspensão (ft/tr) McPherson/Multilink
Prestações 0 a 100 km/h: 11,5s Velocidade máxima (km/h): 185 Consumos (Urbano/Extra-urbano/Combinado) (lt/100km): 5.4/4.7/4.9 Emissões CO2 (g/km): 129
Dimensões Comp/Larg/Alt (m): 4475/1850/1655 Distância entre eixos (mm): 2670 Largura de Vias (fr/tr) (mm): 1608/1620 Travões (fr/tr): Discos ventilados/Discos Bagageira (lt): 488/1478 Depósito (lt): 62 Pneus (fr/tr): 225/60R17
Peso (kg) 2.085
Preço (€) 37.950

 

Facebook
Twitter

 

Review overview
Sumário O Hyundai Tucson 1.7 CRDi Executive DCT é uma excelente proposta para o segmento SUV. Com um design arrebatador, interior elegante e conforto de referência, tem as principais qualidades para singrar num segmento deveras competitivo. Não consegue ser tão apelativo quanto alguns dos seus concorrentes, no que concerne a um desempenho mais vigoroso em estrada. Acima de tudo, proporciona conforto em estrada e é divertido na terra.
4
Tags

Artigos Semelhantes

Top