Você está aqui
Home > Testes > Em Estrada > Teste Isuzu D-Max 1.9 LS Cx Metálica 4X4: Para Nunca Estar Aborrecido

Teste Isuzu D-Max 1.9 LS Cx Metálica 4X4: Para Nunca Estar Aborrecido

 

Para quem procura uma pick-up de trabalho, com excelentes capacidades mecânicas e uma aparência enérgica, a Isuzu D-Max será sempre uma bela opção. A tudo isto soma-se uma dinâmica eficiente e até divertida.

Poucas serão as propostas que batem uma boa pick-up, quando pensamos num veículo apto para trabalho, divertido de guiar e eficiente em estrada e fora dela, faça chuva ou faça sol, ao qual sempre que nos apetecer, juntamos um desempenho cumpridor, mesmo que por vezes pouco confortável, numa vida mais quotidiana. Assim é a Isuzu D-Max que aqui vos trazemos, aquela que tem cabine dupla, caixa metálica, bom nível de equipamento e um preço altamente convidativo, quando comparada com a concorrência.

Frente Dinâmica Abre o Apetite

Do ponto de vista estético, a frente é o ponto fulcral desta proposta Isuzu. Enérgica, agressiva, com traços fortes e uma grelha frontal que assume o centro das atenções, a D-Max dá pistas de quão enérgico é o seu desempenho. No geral, a estética não esconde a vocação desta pick-up, apenas sugere que se seja alegre no trabalho, ou no exercício do lazer em fora-de-estrada.

No seu interior, voltamos a estar mais conectados com a atmosfera de uma pick-up, em que o espaço é privilegiado em detrimento da elegância. Ainda assim, não deixamos de notar coerência entre a consola central e o design da frente, no exterior. Tudo isso contribui para um espaço amplo, mas harmonioso, no qual viajam espaçosamente 5 pessoas.

O condutor, como todos os passageiros, conta com banco confortável, ao qual é acrescentada boa afinação para a posição de condução e conforto dentro do possível, para um veículo que essencialmente quer ser eficiente num desempenho que, normalmente, será profissional. Não há floreados, o equipamento é completo, com controlos fáceis para gerir o conforto e habitabilidade a bordo e o painel de instrumentos exibe-se de fácil leitura e análise, completo dentro do que é exigível para quem está ao volante.

Esta D-MAX, na versão de equipamento LS, inclui 6 airbags SRS (frontal, condutor e passageiro, laterais e tejadilho, ABS com EBD, cintos de segurança com três pontos reguláveis em altura e pretensores, direção assistida, sistema anti roubo, vidros elétricos à frente e atrás e volante regulável em altura.

DMAX19_17
DMAX19_16
DMAX19_21
DMAX19_3
DMAX19_2
DMAX19_5
DMAX19_6
DMAX19_8
DMAX19_9
DMAX19_22
DMAX19_26
DMAX19_24
DMAX19_1
DMAX19_14
DMAX19_19

Em Estrada – Eficiente e Divertida

Quis o destino que durante os dias em que estivemos incluídos no ‘caderno de encargos’ desta Isuzu D-Max, o clima estivesse instável, o que nos permitiu testá-la intensamente, em estrada e fora-de-estrada, com piso seco e molhado. Desde logo, identificámos características que estão inerentes a um produto deste tipo, como sejam o peso, mais evidente no arranque e em curva, a caixa de velocidades dura, e o ruído no interior, já que a insonorização não disfarça o esforço do motor 1.9 diesel.

No entanto, se o peso é evidente (3 toneladas), o desempenho em estrada não deixa de ser bastante interessante. No nosso primeiro trajeto efetuado, autoestrada, rapidamente chegámos aos 120 km/h e depois, um pouco mais, na tolerância, onde ficou evidente a elasticidade do motor de 164 cv, obtidos às 3600 rpm, embora, como referido, não fosse possível disfarçar algum barulho, não só do motor, como do rolar da viatura, chassis e pneus. Não há milagres, é uma pick-up e é para trabalho, embora haja muito quem a escolha para muito mais que isso. Esta Isuzu atinge os 180 km/h (limitados eletronicamente), chegando dos 0 aos 100 km/h em 13 segundos. Anuncia um consumo médio de 7 l/100 km, embora nós nunca tenhamos feito menos de 8 l/100 km.

Na segunda parte do nosso teste de estrada, na lindíssima zona da Ericeira e Ribeira de Ilhas, misturámos a nossa procura por boas, mas sinuosas estrada asfaltadas e por percursos fora-de-estrada, que tiveram sempre o mar como limite visual. Nesse contexto, divertimo-nos nas estradas asfaltadas, bastante técnicas, onde a Isuzu mostrou todos os seus atributos dinâmicos. Um chassis equilibrado, que curva lindamente, embora convenha não exagerar, para a traseira não se ‘virar a nós’. Mas, para isso, é realmente preciso exagerar. Voltaram-se, no entanto, a notar as dificuldades em aceleração, que esta D-Max não disfarça, quando se necessita de uma resposta francamente mais rápida, especialmente se pretendemos ultrapassar em espaços mais curtos. Não há milagres, é uma pick-up de trabalho e não de competição. Mesmo assim, o seu desempenho é amplamente satisfatório.

Esta D-Max inclui, Controlo Eletrónico de Estabilidade (ESC), faróis anti nevoeiro frontais, Cruise Control, Controlo de Tração (TCS), Hill Assist Control (HAC) e Hill Descent Control (HDC). Conta com o conforto de gerirmos a utilização dos modos de transmissão 2H, (tração traseira), 4H (tração integral) e 4L (as chamadas Redutoras) através de um botão na consola central.

Em fora de estrada, tirando partido de uma boa escolha de percursos, pudemos desfrutar de todo o potencial desta pick-up, em bons estradões onde as suas características, com tração às duas ou 4 rodas, se evidenciaram. Como o motor não é muito potente, podemos divertir-nos com a tração traseira, sentindo a agradável deriva da mesma à saída das curvas, o que diverte e muito. Com a tração integral permanente (4H), pudemos desfrutar da eficiência em fora-de-estrada, com extrema segurança. Já no modo, 4L, atrevemo-nos a desafiar algumas trialeiras na zona de Ribeira de Ilhas, onde algum calafrio inicial foi sempre substituído por um sorriso confiante, tanta a eficiência que D-Max ‘transpirou’.

A proposta é simples. Uma pick-up com imagem enérgica e desempenho vigoroso, com bom nível de equipamento e que custa €24.797, valor ao qual é necessário acrescentar o IVA.

Fotos: OnWheelsTV/Jorge Cabrita

Ficha Técnica Isuzu D-Max 1.9 DOHC LS Cx Metálica Flex-Edition 4X4
Motor: Diesel, 4 cilindros em linha. Turbo diesel, Common Rail, VGS Turbo Cilindrada (cc): 1.898 Diâmetro x Curso (mm): 80,0 x 94,4  Taxa Compressão: nd Potência (cv/rpm): 164/3600 Binário (Nm/rpm): 360/2000-2500 Transmissão/Direção: 4WD (part time), Sistema de Seleção Elétrico-Controlo de tração, caixa manual de 6 velocidades, direção pinhão e cremalheira, hidráulica/assistida Suspensão (fr/tr): Independente c/braços triangulares, duplos, molas helicoidais e barra estabiliz./Eixo rígido c/molas de lâminas Prestações: 0 a 100 km/h (s): 13,0  Velocidade Máxima (km/h): 180  Consumos (Extra-Urbano/Urbano/Misto) (l/100 km): 6,6/7,6/7,0  Emissões CO² (g/km): Euro 6 Dimensões: Comprimento/Largura/Altura (mm): 5295/1860/1795  Distância entre Eixos (mm): 3095  Comprimento Compartimento de Carga (mm): 1640  Travões (fr/tr): Discos Ventilados/Tambores  Carga Útil (kg): 1010  Depósito (lt): 76  Pneus (fr/tr): 245/70 R16 Peso (kg): 3000
Preço (versão ensaiada): €24.797 (sem IVA)

 

Facebook
Twitter

 

Review overview
Sumário A proposta para veículo de trabalho é mais que válida. Eficiente em estrada e fora dela, esta Isuzu D-Max evidencia segurança e chega por vezes a ser divertida de guiar. Não esconde algumas dificuldades em opções mais enérgicas de condução, como sejam as acelerações, agilidade e consumos. Também não disfarça algumas dificuldades na insonorização. Vinga-se de tudo isto na proposta comercial, com um preço verdadeiramente competitivo, tendo em conta o nível de equipamento que inclui.
3.5
Tags

Artigos Semelhantes

Top